18/05/2018

Uma grande mobilização foi realizada no centro de Ituiutaba nesta sexta-feira, para lembrar que 18 de maio é o Dia Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Ao longo de toda esta semana, o Conselho Tutelar de Ituiutaba, em parceria com a Prefeitura, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, CRAS, Secretaria Municipal de Saúde e outras entidades, desenvolveu uma série de atividades com o objetivo de chamar a atenção para este grave problema.

A programação realizada pelo Conselho Tutelar envolveu a realização de blitz educativas nas principais rodovias que cortam o município; panfletagem e colagem de adesivo em veículos; visitas em escolas e palestras que abordaram a exploração e a violência sexual praticadas contra crianças e adolescentes.

“Tivemos uma resposta muito positiva da comunidade. Um envolvimento muito grande. Tanto que, todos os adesivos que fizemos não foram suficientes. É muito bom perceber que as pessoas são sensíveis a esta causa. Conseguimos passar a mensagem que queríamos. Dizer para a população que estamos aqui para receber e encaminhar suas denúncias de abuso contra crianças e adolescentes. A mensagem de que as pessoas não podem se calar ou ficarem omissas diante de uma situação tão grave que envolve pessoas indefesas”, disse Camila Almeida, presidente do Conselho Tutelar de Ituiutaba.

Palestra

Durante a palestra que aconteceu na Câmara Municipal de Ituiutaba, dentro da programação oficial da Semana de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, chamou a atenção o fato de que apenas através do Disque 100, canal direto com o Departamento de Ouviria Nacional dos Direitos Humanos, são feitas quatro denúncias por hora envolvendo abuso ou a exploração de crianças. Deste total, 67% são meninas e 40% delas com idades entre zero a onze anos.

“Quando apenas uma central de denúncia apresentando números tão expressivos,temos a real noção de que este problema é infinitamente maior que possamos imaginar. Isto sem falar de outro tanto de casos que não são denunciados por uma série de fatores que vão desde a intimidação ou ameaça, até a conivência dos adultos próximos destas crianças”, disse a palestrante e diretora regional da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), Cibele da Silva Souza.

Ela também destacou que os conselhos tutelares têm papel primordial neste processo que busca garantir a ampliação de toda a rede de proteção á criança e ao adolescente em situação de vulnerabilidade ou vítimas da violência sexual. “A violência está mais perto que imaginamos. E para combatê-la, precisamos, antes de tudo, transmitir confiança e dar apoio a todos que se encontram em situação de risco”, concluiu.

Fonte: Ascom

Voltar