26/10/2018

A dívida do Estado de Minas Gerais com a prefeitura de Ituiutaba se aproxima dos R$ 23 milhões e a situação financeira do Município já não se sustenta mais. Esta é uma realidade enfrentada não apenas por Ituiutaba, mas por todas as 853 cidades que compõem o Estado. Segundo a Associação Mineira dos Municípios, mais de 90% já manifestaram preocupação, anunciaram que não vão conseguir honrar seus compromissos ou já estão atrasando pagamento de fornecedores e servidores. 

Até então, em Ituiutaba, a atual administração honrou todos os compromissos com fornecedores e com os servidores ativos e inativos.  Por determinação do prefeito Fued Dib, nenhum serviço público foi interrompido. Saúde, Educação, Obras e Social continuam trabalhando como se o Município não estivesse atravessando uma crise financeira sem precedente. Mas a situação chegou ao limite e para enfrentá-la, com o mínimo grau de consequência para a população, o prefeito Fued Dib determinou a adoção de medidas severas e impactantes no que diz respeito à contenção de despesas.

Entre estas medidas estão, a exoneração de cargos comissionados; rescisões e redução de contratos de prestação de serviços; cortes de horas extras e gratificações; remanejamento de pessoal; junção de secretarias e acúmulos de cargos com única remuneração, entre outros.

“Até a presente data fizemos de tudo para manter a máquina funcionando. Mas a crise se agravou e já não temos meios, ou recursos financeiros suficientes para suportar esta situação. Os serviços essenciais que não podem faltar à população, como saúde, educação, limpeza pública, transporte escolar, merenda escolar, folha de pagamento, asfalto, dentre vários outros, também já estão comprometidos com a falta desses repasses por parte do Governo Estadual”, avaliou a secretária municipal de Finanças, Eleni Soares Gois. 

“Esta não é a situação que eu gostaria de passar. É uma situação triste e revoltante. Por irresponsabilidade do governo do Estado, não só Ituiutaba, mas todos os municípios mineiros estão enfrentando uma crise sem precedente. Até então relutamos e buscamos todas as alternativas possíveis, para evitar a necessidade de medidas tão drásticas. Mas chegamos ao nosso limite e não conseguimos vislumbrar nenhuma luz no final do túnel”, lamentou o prefeito Fued Dib. “Tomara que o próximo governador consiga reverter esta situação e quitar a dívida do Estado com os Municípios”, concluiu. 

Dívida'

Fonte: Ascom

Voltar