12/01/2018

- cerca de 40 pessoas inscritas na etapa inicial estão sendo capacitadas –

 

O Centro de Referência e Assistência Social, CREAS órgão da Secretaria de Desenvolvimento Social, da Prefeitura de Ituiutaba iniciou nesta semana, o curso de capacitação para 40 pessoas que se inscreveram para participar da etapa inicial do Projeto Família Acolhedora, lançado em agosto neste município.

 

Desde o lançamento, o projeto passou por uma de divulgação e esclarecimentos de dúvidas, e no mês de dezembro, recebeu aprovação do Poder Legislativo municipal, sendo transformado em lei. Estão à frente do projeto em Ituiutaba, a psicóloga Emmanuelle Ramalho Franco e a Assistente Social, Raina Maria de Freitas.

 

Segundo informações da coordenação do programa, a capacitação das pessoas interessadas, precisa ser superior ao número de crianças a espera de serem acolhidas. No caso de Ituiutaba, existem 22 crianças entre 0 a 18 anos de idade, aguardando o processo de acolhimento. São quatro dias de capacitação, durante duas quartas e duas quinta-feiras, com palestras no auditório do CEMAP, da Secretaria de Educação.

 

Para a Psicóloga Emmanuelle Ramalho, do CREAS, a pessoa interessada e devidamente cadastrada para fazer parte do Projeto, após receber a capacitação, passa por uma análise psicossocial, e após este procedimento, poderá estar apta a receber a criança por um período de acolhimento, determinado e autorizado pela justiça.

 

A Assistente Social, Raina Freitas, avalia que a Prefeitura de Ituiutaba, através da Secretaria de Desenvolvimento e equipe do CREAS abraçaram o projeto, e a dedicação é geral de todos os envolvidos, considerando tratar-se de uma inovação, que vem dando certo em vários municípios brasileiros. “Para a nossa surpresa, a adesão de interessados, nesta etapa inicial do projeto, superou as expectativas”, conta Raina.

 

O Secretário de Desenvolvimento Social, Renato Moura, acredita no sucesso e alcance do Projeto Família Acolhedora. “Estamos diante de uma oportunidade de promover e ofertar uma política pública, que garanta o direito a convivência familiar e comunitária, de crianças e adolescentes, que por alguma razão encontra-se separado do convívio de seus pais biológicos”. Interessados em tirar dúvidas ou mesmo conhecer formas de cadastrar-se para participar do projeto, podem entrar em contado por meio do telefone (34) 3271.8214 ou ainda procurar diretamente a Secretaria de Desenvolvimento, localizada na Rua 24, entre avenidas 15 e 17 no centro.

 

 

 

 

Fonte: ascom

Voltar